Hino Nacional Brasileiro: Análise de termos

Cesar Augusto Cavazzola Junior

Plácidas:

1. Classe gramatical: adjetivo feminino no plural

2. Que está muito calmo; repleto de tranquilidade e de sossego

3. Que denota ou expressa paz; pacífico.

4. Quieto, sossegado.

5. Tranquilo.

6. Manso, sereno.

7. Brando, pacífico.

8. Com doçura, suavidade, gentileza; suave.

9. Em que há sossego e quietação; CALMO; SERENO; SOSSEGADO: “A nossa vida era mais ou menos plácida (…) passávamos as noites à nossa janela da Glória, mirando o mar e o céu, a sombra das montanhas e dos navios…” (Machado de Assis, Dom Casmurro)) [Antôn.: agitado, conturbado, tumultuado. ]

10. Que denota sossego de ânimo ou serenidade de espírito; BRANDO; MANSO; TRANQUILO: “…Com plácido rosto,/ Sereno e composto,/ O acerbo desgosto/ Comigo sofri.” (Gonçalves Dias, I-Juca Pirama)) [ Antôn.: agressivo, belicoso, violento. ]

11. Etimologia (origem da palavra plácidas): do latim placitus, -a, -um.

Brado:

1. Classe gramatical: substantivo masculino.

2. 1ª pess. sing. pres. ind. de bradar.  

3. Derivação regressiva de bradar.

4. Grito; voz que, propagada de modo intenso e forte, pode ser ouvida a uma longa distância: ouviram o brado retumbante.

5. Clamor; ação de reclamar ou suplicar em voz alta: o governo não ouve os brados do povo.

6. Ação ou efeito de bradar.

7. Reclamação, súplica, protesto etc. feito em voz alta; CLAMOR: o brado do povo em prol de justiça

8. Dar brado: Ficar famoso, ganhar prestígio ou notoriedade.

9. FIG Importância social de uma pessoa, por suas ideias ou ações.

10. Etimologia (origem da palavra brado): forma regressiva de bradar.

11. Bradar: pode ser:

– verbo transitivo direto e bitransitivo

Gritar; falar aos gritos; dizer alguma coisa em voz alta: bradou ofensas; bradava enraivecido contra o presidente.

– verbo transitivo indireto

Fazer pedidos aos brados, gritando ou em voz alta: bradava por atenção. Exigir; fazer uma reclamação com insistência: o povo bradava contra as injustiças.

– verbo intransitivo

Bradejar; gritar de modo repetido: bradava sozinho. Bramir; causar um barulho imenso: durante a tempestade, o vento bradava.

12. Bradar aos céus: Ser injustiça.

13. Presente do Indicativo: eu brado, tu bradas, ele brada, nós bradamos, vós bradais, eles bradam.

Retumbante:

1. Classe gramatical: Adjetivo de dois gêneros.

2. Bombástico; que provoca um som muito alto, intenso e de grande repercussão: ouviram o brado retumbante.

3. Que retumba ou estrondeia.

4. Que provoca espanto; assombroso, espaventoso.

5. Etimologia (origem da palavra retumbante): retumba/r/ + nte.

Fúlgidos:

1. Classe gramatical: adjetivo plural.

2. Que brilha em excesso; que está repleto de brilho; reluzentes: raios fúlgidos.

3. Que tem capacidade para emitir ou refletir luz.

4. Etimologia (origem da palavra fúlgidos): plural de fúlgido.

5. Fulgir: pode ser:

– verbo transitivo direto

Fazer com que brilhe; tornar brilhante; resplandecer: o sol bateu no espelho, fulgindo-o; o sol fulgia todas as manhãs.

– verbo intransitivo

[Por Extensão] Figurado. Tornar-se incomum; sobressair-se: sua inteligência fulgia nos corredores da faculdade.

6. Etimologia: latim fulgidus, -a, -um, luminoso, brilhante.

7. Fulgir: Tipo do Verbo: regular; Infinitivo: fulgir; Gerúndio: fulgindo; Particípio Passado: fulgido. Presente do Indicativo: tu fulges, ele fulge, nós fulgimos, vós fulgis, eles fulgem.

Penhor:

1. Classe gramatical: substantivo masculino

2. Garantia; o que garante o cumprimento de um dever ou obrigação.

3. [Jurídico] Entrega de um imóvel, ou algo móvel, como garantia de pagamento de uma dívida, de uma obrigação, de um empréstimo; ação ou palavra que cumpre este propósito.

4. Caução; o que se oferece como garantia.

5. [Figurado]  Sinal certo, testemunho, prova. Garantia, segurança, prova.: “…troquemos penhores de paz: devemos pedir um ao outro uma prova de amor…” (Joaquim Manuel de Macedo, O moço loiro))

6. Garantia, segurança.

7. Tudo aquilo (palavra, contrato etc.) que assegura o cumprimento de uma dívida, obrigação, promessa etc.

8. Jogo de tabuleiro em que cada um de dois participantes tem oito penhores, cada participante com penhores de uma cor, cujo objetivo é movimentá-los e empilhá-los a cada volta, sagrando-se vencedor aquele que traçar o melhor caminho para alcançar o centro do tabuleiro mais rapidamente. Veja: “…ou aquele que entregava o corpo e o trabalho como penhor de uma dívida.” (Alberto da Costa e Silva, A manilha e o libambo))

9. Cada uma das peças desse jogo, semelhante às do jogo de dama, em duas cores distintas, amarelo e vermelho.

7.Etimologia:latim pignus, -oris, penhor, hipoteca, garantia, caução.

8.Expressão: penhor de amor: Os filhos.

Impávido:

1. Classe gramatical: adjetivo.

2. Característica do que não possui nem aparenta medo.

3. Que é destemido; que não se enfraquece com preocupações, receios ou medos.

4. Tranquilo ante o perigo.

5. Sinônimos: afoito, corajoso, ousado, impetuoso, intrépido.

6. Etimologia: latim impavidus, -a, -um.

Colosso

1. Classe gramatical: substantivo masculino.

2. Estátua cujo tamanho é muito elevado; estátua de proporções excessivas.

3. Estátua de grandeza extraordinária.

4. [Figurado]  Pessoa muito corpulenta.

5. O que tem grandes dimensões.

6. O que tem grande poderio.

7. [Por Extensão] Algo, alguém ou animal excessivamente grande e forte.

8. [Por Extensão] Tudo aquilo que possui um tamanho descomunal.

9. [Figurado] Que possui um poder excessivo; quem exerce uma grande influência sobre; de muita importância; poderoso.

10. [Figurado] Que tem muito valor; de qualidade extraordinária: Camões foi um colosso da língua portuguesa.

11. [Brasil] Aquilo que é muito vantajoso; algo ótimo e excelente: aquele professor é um colosso.

12. Fam. Algo muito bom: O jantar está um colosso.

13. [Brasil] Uso Regional. Em quantidade excessiva; muito.

14. COLOQ Coisa excelente, excepcional; coisa que apresenta enorme vantagem.

15. Etimologia: latim colossus, -i, do grego kolossós, -oú.

16. EXPRESSÕES Colosso de pés de barro: expressão de origem bíblica (Daniel, cap 2, vers. 31 a 34) que se aplica a pessoa cujo poder ou prestígio se assenta em base frágil.

Fulguras

1. Classe gramatical: substantivo deverbal. Flexão do verbo fulgurar na: 2ª pessoa do singular do Presente do Indicativo.

2. Ação de propagar ou ocasionar luz ou brilho; ato de resplandecer, de brilhar; ação de se distinguir em relação aos demais.

3. Etimologia (origem da palavra fulguras): Forma Der. de fulgurar.

4. Fulgurar: pode ser:

– verbo intransitivo

Propagar ou ocasionar luz ou brilho; brilhar, resplandecer. Distinguir-se dos demais; sobressair-se com brilho; salientar-se: aquela cantora fulgura no mercado fonográfico.

5. Etimologia (origem da palavra fulgurar): latim fulguro, -are, lançar relâmpagos.

6. Fulgurar: Relampejar.  Emitir brilho ou luz intensa. = BRILHAR, FULGIR, LUZIR. [Figurado] Destacar-se de entre vários. = SOBRESSAIR.

Florão

1. Classe gramatical: substantivo masculino.

2. Enfeite em forma de flor, normalmente colocado no centro do teto. Ornato em forma de flor.

3. [Figurado] Preciosidade; que possui muito valor; joia.

4. Ornato de ouro ou pedras preciosas no círculo de uma coroa.

5. [Botânica] Inflorescência, conjunto de flores ligadas por uma haste, típica das plantas da família das compostas.

6. Jogos. Designação de um jogo popular.

7. Tipografia. Pequeno enfeite em forma de flor que, num livro, ilustra o final de um capítulo ou a folha de rosto.

8. [Botânica]  Capítulo. Inflorescência cujo conjunto forma um capítulo, nas compostas.

9. Flósculo.

10. [Figurado]  Glória; motivo para sentir orgulho legítimo.

11. O que se possui de melhor.

12. Her. Ornato de ouro ou pedras preciosas no círculo de uma coroa.

13. Pequena carruagem antiga.

14. Lud. Certo jogo popular.

15. Etimologia (origem da palavra florão): do italiano florone. Devirada de flor+ão.

Garrida

1. Classe gramatical: adjetivo. Flexão do verbo garridar na: 2ª pessoa do singular do Imperativo Afirmativo, 3ª pessoa do singular do Presente do Indicativo. Garrida pode ser substantivo feminino.

2. Enfeitada; que está cheia de enfeites ou adornos.

3. Exuberante; que expressa exuberância: cores garridas.

4. Graciosa; em que há elegância e graciosidade.

5. Como substantivo feminino: Sineta; sino de tamanho pequeno. Nos conventos, pequeno sino que transmite o último sinal para anunciar o começo de um ofício divino. O sino que nos conventos dava o último sinal para começarem os ofícios divinos: A garrida do convento de Tarouca tangia inesperadamente a capítulo. (Júlio Dantas , Eles e Elas , p. 71, ed. 1918.)

6. Verbo garrir (latim garrio, -ire, conversar, tagarelar, chilrear): pode ser:

verbo intransitivo

Ressoar. Badalar. Falar muito. Chilrear. Papaguear. Folgar. Ostentar galas; brilhar.

– verbo pronominal

Vestir-se de cores vistosas.

Lábaro

1. Classe gramatical: substantivo masculino.

2. Bandeira; estandarte ou peça de pano quadrangular, com as cores ou com o símbolo de determinada nação, país, agremiação: o lábaro do Brasil tem estrelas.

3. Estandarte militar romano.

4. Bandeira, estandarte, pendão.

5. Etimologia (origem da palavra lábaro): latim labarum, -i.

Clava

1. Classe gramatical: substantivo feminino. Flexão do verbo clavar na: 2ª pessoa do singular do Imperativo Afirmativo, 3ª pessoa do singular do Presente do Indicativo.

2. Arma feita com um pedaço grosso e maciço de madeira, sendo uma de suas extremidades mais volumosa, muito utilizada como arma de ataque ou de defesa; maça.

3. [Por Extensão] Arma utilizada entre os indígenas para combates próximos ou para utilização em rituais; tacape.

4. [Zoologia] Nos insetos, a parte dilatada da extremidade de sua(s) antena(s).

5. Etimologia (origem da palavra clava): latim clava, -ae.

Referências bibliográficas

Longe de ser um estudo rigoroso e complexo acerca dos seus significados. O intuito, frisa-se, é o de fornecer apenas um guia geral. Para tal, foram consultadas as seguintes fontes:

Aulete. Disponível em: <http://www.aulete.com.br/>.

Aurélio. Disponível em: < https://dicionariodoaurelio.com>.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4. Ed. Revista e atualizada de acordo com a nova ortografia. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013. Disponível em:< https://www.priberam.pt>.

Melhoramentos minidicionário da língua portuguesa. 1. Ed. São Paulo: Melhoramentos, 1992.

NASCENTES, Antenor.  Dicionário Etimológico da Língua Portuguêsa. Rio de Janeiro, 1955.

Leia também...

Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

L’art est l’imitation de la nature

Au lever des temps, les sages répétaient : “L’art est l’imitation de la nature.” Platon, dans sa majestueuse sagesse, proclamait cette vérité éternelle, tissant le

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Letramento: Lusíadas, Canto I, 7

Árvore: família, árvore genealógica Cesárea: imperial (os imperadores da Alemanha, que se chamavam de Césares). No ocidente da Europa otitulo de imperador romano, extinto com

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Letramento: Lusíadas, I, 2

Memórias gloriosas: Sinédoque: tipo especial de metonímia baseada na relação quantitativa entre o significado original da palavra us. e o conteúdo ou referente mentado; os

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Letramento: Lusíadas, I, 1

As armas e os barões: “Hendiadis”: uma forma latinizada da frase grega ἓν διὰ δυοῖν ( hèn dià duoîn ) ‘um a dois’. Figura (de

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Linguagem e realidade

Cesar Augusto Cavazzola Junior A harmonia é um prazer aos sentidos. Sobre a pele, o veludo ou a faca de corte? No paladar, o saboroso

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Relativismo Moral e Linguagem

Hoje em dia, muitas pessoas promovem a causa comunista sem perceber, usando relativismo moral e manipulação da linguagem. As ideias são adaptadas para manter a

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Letramento: Lusíadas, Canto I, 5

Fúria: voz arrebatadora Peito acende: incita o ânimo Ao gesto: ao rosto. Faz o sangue refluir às faces, avermelhando-as Que: para que Agreste: campestre Avena:

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

A oração e seus elementos

Cesar Augusto Cavazzola Junior Imagine-se sendo acordado no meio da noite pelo seu vizinho, aos berros: – Fogo! Ou mesmo seu professor interrompendo a conversa

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Café com a morte

Cesar Augusto Cavazzola Junior Eu:     Morte, minha amiga           Companhia a confessar           A história de uma vida           Sem ousar me lastimar. Morte:

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

O mágico

De Cesar Augusto Cavazzola Junior No calor abrasador da capital, em pleno pico de verão, formava-se um tumulto bem em frente à Praça da Catedral

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Para quem se mete a escrever

Cesar Augusto Cavazzola Junior Como disse Eugène Ionesco: “Devemos escrever para nós mesmos. É assim que poderemos chegar aos outros.” Não são raros os sujeitos

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Letramento: Lusíadas, Canto I, 3

Cessem (de ser cantadas) as navegações: Figura de linguagem: Zeugma. Subentende-se o verbo do segundo membro do período. Troiano: referência a Eneias. Figura de linguagem:

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Educação Liberal 

Palestra de Olavo de Carvalho Rio de Janeiro, 18 de Outubro de 2001 Transcrição: Fernando Antônio de Araújo Carneiro Revisão: Patrícia Carlos de Andrade Agradeço

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Os desafios de escrever um livro

Cesar Augusto Cavazzola Junior Eu retomei a escrita deste trabalho (foto), que leva o título provisório de “Como nos tornamos homens”. Comecei a compô-lo ainda

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Ressignificando símbolos

Cesar Augusto Cavazzola Junior O homem é um ser que está intimamente ligado com símbolos e aquilo que eles representam. A sociedade atual, diante do

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Quanto vale um abraço?

Cesar Augusto Cavazzola Junior Eu gosto do sistema capitalista. O capitalismo permite que nosso trabalho se especialize. A long, long time ago, quando alguém produzia

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

O “projeto moderno”

Cesar Augusto Cavazzola Junior O século XV é marco da Revolução Comercial, período marcado pelas grandes navegações, que uniram o “velho” e o “novo” mundo,

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Somos realmente modernos?

Cesar Augusto Cavazzola Junior O que deveria estar facilitando as nossas vidas pode estar, no fundo, nos distraindo Em estudo divulgado pela revista Science, cujo

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Que é o direito?

Que é o direito? Olavo de Carvalho Seminário de Filosofia, 22 de setembro de 1998. Se o poder, como se viu na Primeira Aula, é possibilidade

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Para quem deseja escrever

A seguir, vou postar uma lista de livros organizada por João Felipe, publicada no site “Ofício Literário”, sobre técnica literária e escrita. A lista está

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

O Latim não é uma língua

A seguir, disponibilizo uma breve transcrição da palestra do prof. Rafael Falcón “O Latim não é uma língua”, proferida no Congresso de Educação Católica 2018.

Ler mais »
Blog
Cesar Augusto Cavazzola Junior

Latim, afinal, para quê?

*Cesar Augusto Cavazzola Junior Com a adoção do método de Paulo Freire nas escolas, nossa inteligência não caiu em constante e sutil queda, mas despencou

Ler mais »